Fogos de artifício e Pets: veja o que fazer para amenizar o medo dos animais no Réveillon

Fogos de artifício e Pets: veja o que fazer para amenizar o medo dos animais no Réveillon
0
332 sexta, 29 de dezembro de 2017

Virada do ano é tradição a queima de fogos de artifício coloridos no céu. Além das cores, não tem como fugir do barulho também — um tormento e sofrimento para os animais. Os cães, por exemplo, possuem uma audição muito sensível, podendo escutar a origem do som em até seis centésimos de segundo e chegando a escutar até 45 mil hertz. Alguns se escondem dos barulhos, fogem, se ferem e outros correm para os donos tremendo. Quando estão em pânico, os cães podem até chegar a óbito, principalmente os que têm problemas cardíacos.

 

O especialista em comportamento animal e zootecnista Renato Zanetti explica que é importante entender a diferença entre medo e pânico para que o tutor saiba identificar qual a sensação de seu cachorro.

 

— Medo é quando o animal sente que está em perigo, mas não faz coisas estranhas que normalmente não faria. Já o pânico impede que tenham a percepção do ambiente, podendo levar o cachorro a atravessar portas de vidro, escalar paredes, subir em telhados e até saltar de muros altos — alerta.

 

O médico-veterinário Luciano Granemann e Silva, membro do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina, explica que além da sensibilidade auditiva existe o instinto de sobrevivência.

 

— Eles associam os fogos a um ataque iminente, a um ato de violência — explica.

 

Para Mariana Siebert, “mãe” do cão-celebridade Darci, o principal é identificar o bichinho, não só nessa época mas em toda a vida.

 

— Seja escrevendo o telefone na coleira ou comprando plaquinha, o animal deve estar sempre com o telefone do dono, principalmente nessas épocas em que as fugas por conta do medo são enormes — diz a protetora.

 

Assegurar que os portões, telas e janelas estão bem fechados é importante. Vale também pesquisar na internet algumas técnicas de amarrações de faixas de tecidos que, pela pressão, ajudam a acalmar o pet.

 

— Se você puder ficar com seu pet, essa é a melhor opção. Deixar ele escolher seu canto de segurança, sem forçar nada, também é importante. Seja dentro do armário, na casinha, debaixo da cama, ele sabe o local mais seguro. Jamais deixe ele em correntes, ele pode se enforcar no desespero do barulho — conta Mariana.

 

Veja algumas dicas para que os pets tenham uma virada de ano mais tranquila:

Fugir do barulho

 

Estar em um lugar tranquilo, com o mínimo de barulho possível para que o pet não fique estressado e consequente sinta medo ou pânico.

 

 

 

 

Local seguro

Casa não seja possível ir para um lugar com menos barulho, escolha um local em casa onde o pet não corra o risco de se bater, cortar ou cair. Todos os possíveis locais que eles possam escapar devem estar fechados, como portas e janelas.

Tocas

Você pode criar tocas para o animal se esconder, como embaixo da cama, dentro de caixas, dentro do banheiro, dentro da casinha ou uma caixa de transporte.

 

 

 

 

 

Abafe o som externo

Deixar o ventilador ligado, colocar uma música calma, fechar janelas e portas

Petiscos

Disponibilize petiscos diferentes ou comidas congeladas e brinquedos recheáveis para distraí-lo e estimulá-lo.

Protetores auriculares

Outra solução é o uso de protetores auriculares, nos casos em que o animal permite sua colocação e permanência. Abafar o som com as mãos, colocando-as sobre as orelhas do seu pet, também ajuda a diminuir o barulho.

 

 

 

 

Atividade física

Os exercícios físicos diminuem a ansiedade. Por isso, vale a pena investir em uma caminhada mais intensa no dia 31, que vai deixar seu pet mais relaxado e tranquilo.

 

Fonte: DC.