PLAYLIST #GIRLPOWER PRA OUVIR E SENTIR ORGULHO DE SER MULHER

PLAYLIST #GIRLPOWER PRA OUVIR E SENTIR ORGULHO DE SER MULHER
0
331 segunda, 12 de março de 2018

Essa lista é pra sentir no corpo todo o poder dessas minas e ter orgulho de também ser uma!

 

– Aretha Franklin – Respect
Aretha é uma das maiores vozes da soul music e fez história em 1967 ao lançar a música “Respect”, que se tornou um hino do movimento pela igualdade de gênero desde então. A letra da faixa, que mostra uma mulher suplicando por respeito, também é um grande eufemismo para pedir por sexo. Uma mulher falando abertamente sobre querer transar quando seu homem chega em casa, além de colocar isso dentro de uma exigência por respeito, foi algo empoderador nos anos 1960 e não é a toa que “Respect” é considerada até hoje uma das músicas mais importantes e influentes, tanto no ambiente musical quanto na luta pelos direitos das mulheres.

 

 

– Madonna – Express Yourself
Pensou em mulheres épicas no mundo da música, pensou em Madonna – e foi nos anos 1980, junto com o lançamento de “Express Yourself”, que esse legado começou a ser construído. A faixa é 100% sobre empoderamento feminino e fala sobre rejeitar coisas materiais e aceitar apenas o melhor para si mesmo. Além da música por si só ter feito história, o clipe foi destacado por vários rankings como um dos mais icônicos da história da música: dirigido por David Fincher, o vídeo mostra a cantora numa posição de liderança sobre os homens, pra mostrar quem realmente manda. Madonna é uma lenda viva na música e uma mulher pronta pra inspirar todas as outras com seu trabalho.

 

 

– Cher – Believe
Depois de 9 anos de trabalho, “Believe” saiu em 1998 pra se tornar oficialmente uma das 10 maiores músicas de todos os tempos. A faixa atingiu o #1 nas paradas de 23 países e inspirou mulheres do mundo todo a não se deixar abater depois de um coração partido. Cher é uma deusa na terra e uma inspiração gigantesca pra todo mundo que se identifique com o sexo feminino.

 

 

– Janelle Monáe & Erykah Badu – Q.U.E.E.N.
Em 2013, duas mulheres lendárias se uniram pra cantar a faixa “Q.U.E.E.N.”, que no título já mostra a que veio: a sigla significa “Queer community, Untouchables, Emigrants, Excommunicated e Negroid”, dando destaque a 5 grupos marginalizados da sociedade. Somado a isso, quando Janelle canta no refrão que quer ser uma rainha, a ideia é que as pessoas deixem as outras serem elas mesmas. No fim das contas, a parceria entre Monáe e Badu é um grande incentivo a pensar de forma mais esclarecida a respeito das mulheres e sobre todas as minorias.

 

 

– Frenéticas – Perigosa
Durante o auge da dance music nos anos 1970, um grupo de 6 mulheres se destacou e empoderou na cena no Brasil. Com “Perigosa” as Frenéticas cantaram o que toda mulher tinha pra dizer, mas nem sempre tinha voz. Se hoje em dia o funk e o pop não têm pudor pra elevar a autoestima e a sexualidade feminina, lá em 1976 as Frenéticas já estavam gritando em alto e bom som que toda mulher sabe que é bonita, gostosa e muito perigosa – e essa letra serve perfeitamente pra inspirar as minas até hoje.

 

 

– Gloria Gaynor – I Will Survive
Se em algum momento da vida você achou que jamais poderia viver sem aquele cara ao seu lado, Gloria Gaynor tem um recadinho: você vai sobreviver. Mulher nenhuma precisa ter um homem pra viver feliz e o sucesso do hino “I Will Survive” é a prova de que milhões de pessoas ao redor do mundo entenderam o que Gloria tinha pra ensinar. E fizeram isso dançando, já que “I Will Survive” foi a primeira e única música da era disco a vencer um Grammy e transformou Gaynor, que antes era conhecida por seu trabalho no soul e no jazz, em uma das maiores cantoras de dance music que o mundo já viu.

 

 

– Cyndi Lauper – Girls Just Want To Have Fun
Seria Cyndi Lauper a primeira grande feminista do pop? “Girls Just Want To Have Fun” prova que sim. Na letra do hino, enquanto os pais e a sociedade ficam cobrando respostas e certas atitudes das mulheres, Cyndi deixa bem claro que o que as elas querem de verdade é se divertir e viver a vida como bem entender, sem acatar ordens de ninguém. O legado de Cyndi Lauper foi inteiro construído em cima do sucesso dessa faixa e até hoje ela é considerada como sinônimo de coragem e atitude no mundo da música.

 

 

– Alanis Morissette – You Oughta Know
Alanis foi transgressora ao tomar a frente pra falar sem filtros sobre um término e sobre sexo em “You Oughta Know”. A faixa, além de virar o início de uma linguagem mais agressiva e vingativa na música da época, se tornou uma das maiores dos anos 1990, venceu dois Grammys e foi “apenas” mais um dos grandes sucessos do “Jagged Little Pill”, terceiro disco de estúdio de Alanis, um dos mais importantes da carreira dela e de toda a música da década de 90. O sucesso do single e do disco consagraram ela como uma das divas de maior relevância na música de todos os tempos e símbolo de atitude a favor das mulheres.

 

 

– Tina Turner – The Best
O maior sucesso da carreira de Tina Turner fala sobre ser obstinada, sobre lutar pela vida e sobre não errar – o que encaixa perfeitamente com a descrição de uma mulher, não é mesmo? Tina canta sobre alguém que é simplesmente o melhor e mesmo que pareça que ela se refere a um homem, ousamos em acreditar que essa letra também serve pra incentivar mulheres a acreditar em si mesmas.

 

 

– Whitney Houston – I Wanna Dance With Somebody
Antes de Whitney revirar o mundo com “I Will Always Love You”, era com “I Wanna Dance With Somebody” que ela fazia seu sucesso chegar mais longe a cada dia. O hino de 1987 fala sobre encontrar alguém que encaixe bem em você, assim como se encaixa em uma dança. A faixa faz parte do disco “Whitney”, conhecido como o primeiro disco de uma mulher a estrear no topo da Billboard 200. Whitney Houston é uma das maiores cantoras que a música já viu em ação e não precisamos dizer mais nada pra você começar agora mesmo a se inspirar nela.