Quincy Jones acusa Michael Jackson de roubar músicas e exalta Caetano e Gil

Quincy Jones acusa Michael Jackson de roubar músicas e exalta Caetano e Gil
0
171 sexta, 9 de fevereiro de 2018

Quincy Jones, um dos principais empresários e produtores musicais dos Estados Unidos, com 79 indicações e 28 vitórias no Grammy, deu duas entrevistas (à revista GQe ao site Vulture) recheadas de polêmicas, acusando Michael Jackson de plágio, criticando os Beatles, e falando de outros grandes nomes como Prince e até os brasileiros Caetano Veloso e Gilberto Gil.

 

Sobre Michael Jackson, com quem trabalhou nos seus principais discos, Quincy Jones falou que ele roubava muitas canções de outros artistas. “Odeio falar sobre isso publicamente, mas Michael Jackson roubou muita coisa. Ele roubou muitas canções. ‘State of Independence’ (da Donna Summer) e ‘Billie Jean’. As notas musicais não mentem. Ele era maquiavélico e ganancioso. ‘Don’t stop till you get enough’, [o tecladista] Greg Phillinganes escreveu uma parte. Michael deveria ter dado 10% da música. Não queria.”

 

Quincy Jones falou também sobre um show de James Brown que teve Prince e Michael Jackson como convidados, e que acabou com uma rixa entre os dois. “Foi um confronto de estrelas que foi visto como um triunfo para Michael Jackson e uma rara humilhação para Prince. Eles se falaram depois do show. Ele esperou na limousine e tentou atropelar Michael, La Toya e sua mãe.”

 

 

O empresário também disse que os Beatles eram os piores músicos que já conheceu. “Minha primeira impressão dos Beatles foi de que eles eram os piores músicos do mundo. Eles não tocavam nada. Paul é o pior baixista que eu já ouvi. E Ringo? Nem me fale. Eu me lembro no estúdio com George Martin, Ringo levou três horas para uma música de quatro compassos. Ele não conseguia.” Quincy contou que um músico de jazz foi chamado e gravou em 15 minutos, e depois Ringo ouviu tudo pronto. “Ringo disse: ‘Até que não ficou tão ruim’. E eu disse: ‘Claro, porque não é você’. Ele é um cara legal, mesmo assim.”

 

Ele também contou que Frank Sinatra tentou fazer com que ele ficasse com Marilyn Monroe, mas recusou porque ela “tinha seios em formato de peras”. Quincy Jones ainda afirma que namorou Ivanka Trump, filha do presidente dos EUA. Isso teria acontecido quando ele tinha 72 anos e ela, 24. “Tommy Hilfiger, que estava trabalhando com minha filha Kidada, disse: ‘Ivanka quer jantar com você’. Eu disse: ‘Sem problema’. Ela tinha as pernas mais bonitas que já vi na vida. Pai errado, no entanto.”

 

Quincy Jones teceu alguns elogios, mais especificamente a artistas brasileiros. “Gilberto Gil e Caetano Veloso são os reis! Você sabe, eu visito as favelas todos os anos. Esses filhos da puta têm uma vida difícil. Eles são durões, no entanto. Você acha que na América é tudo uma merda? É pior lá.”