REVERSÃO 93 – STARMAN

REVERSÃO 93 – STARMAN
0
87 terça, 14 de novembro de 2017

Gravada por David Bowie em 4 de fevereiro de 1972 e lançada como single em abril do mesmo ano, Starman foi incluída mais tarde no álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars.
A faixa só entrou no disco de Bowie por insistência de um produtor da RCA Records, que a inseriu no lugar de um cover da faixa Round and Round, de Chuck Berry.
A versão brasileira pra Starman, foi feita em 1989 pela banda gaúcha Nenhum de Nós, e foi batizada de Astronauta de Mármore.
Segundo o líder da banda, Thedy Corrêa, refazer Starman foi muito difícil. A banda passava por um momento crucial na carreira. Após ter lançado o primeiro álbum, sem grande repercussão, tinham que construir músicas fortes, e foram buscar em seus ídolos, a inspiração necessária.
Foi um trabalho árduo de artesania da letra: o resgate do icônico viajante espacial Major Tom, as citações à rotina dos astronautas, alusões às drogas, à religião, recortes de outras canções de Bowie.
“Quero um machado para quebrar o gelo” vem diretamente da música Ashes to Ashes.
Nos arranjos mais citações: a base de violão característica do clima folk de The Man Who Sold the World e Hunky Dory. O violino que remetia a Hurricane, de Bob Dylan.
Depois disso veio a longa espera pela liberação que viria da Inglaterra. O próprio Bowie quis saber do que tratava a letra e uma tradução em inglês foi enviada. A burocracia atrasava a finalização do segundo álbum do Nenhum de Nós.
Finalmente, depois de uma longa espera, David Bowie autorizou pessoalmente a versão.
Astronauta de Mármore foi alvo de amor e de muito ódio. O amor dos que a levaram ao sucesso e ódio dos críticos e colegas que acusavam o Nenhum de Nós de ter assassinado a canção de Bowie. Ele mesmo não pensou assim, tanto que quando veio ao Brasil pela primeira vez, no show que realizou em São Paulo, fez referência à versão, convidando as pessoas a cantarem em português se assim quisessem.